Contabilidade

DFC – Demonstração dos Fluxos de Caixa

A Demonstração dos Fluxos de Caixa – DFC visa evidenciar e explicar a variação ocorrida no caixa da entidade e seus equivalentes, de um exercício para o outro.

Embora a obrigatoriedade da Demonstração dos Fluxos de Caixa, para a maioria das empresas, seja apenas anual, juntamente com as demais Demonstrações Contábeis, do ponto de vista gerencial, é muito interessante que a administração tenha acesso a este demonstrativo em períodos menores de tempo, pois se trata de uma excelente ferramenta para medir o comportamento da entidade em relação à geração ou consumo de caixa.

Na DFC, as entradas e saídas de caixa são demonstradas de acordo com uma das seguintes classificações: atividades operacionais, atividades de investimento e atividades de financiamento.

Para a adequada elaboração da DFC, com exemplos práticos e detalhamentos, recomendamos a obra Elaboração da DFC e DVA.

Contabilidade

ECD: Prazo Vence Amanhã

As sociedades empresárias, sujeitas à tributação pelo regime do Lucro Real deverão transmitir para o Sped a Escrituração Contábil Digital, contendo os fatos contábeis ocorridos de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2010, até às 23h59min59s, horário de Brasília, do dia 30 de junho de 2011.

A falta de apresentação da ECD ou a sua apresentação em atraso acarretará a multa de R$ 5.000,00, por mês calendário ou fração, conforme determinado na IN RFB nº 787 de 2007.

Conheça a obra Manual de Obrigações Tributárias.

Notícias de Contabilidade

Notícias Contábeis 28.06.11

CONTABILIDADE PÚBLICA
Portaria STN 406/2011 – Aprova as Partes II – Procedimentos Contábeis Patrimoniais, III – Procedimentos Contábeis Específicos, IV – Plano de Contas Aplicado ao Setor Público, V – Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público, VI – Perguntas e Respostas e VII – Exercício Prático, da 4ª edição do Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público (MCASP).
Portaria STN 407/2011 – Aprova a 4ª edição do Manual de Demonstrativos Fiscais (MDF).
DECLARAÇÃO DE CAPITAIS BRASILEIROS NO EXTERIOR (DCBE)
Circular Bacen 3.543/2011 – Estabelece período de entrega da declaração de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE) referente às datas-base de 31 de março de 2011, de 30 de junho de 2011 e de 30 de setembro de 2011.
Contabilidade

DBE Deve ser Entregue até 29/Julho

O Banco Central do Brasil, através da Circular Bacen 3.543/2011, estabeleceu os prazos de entrega da declaração de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE) relativa aos 3 primeiros trimestres de 2011.

A declaração referente à data-base de 31 de março de 2011 deverá ser entregue no período compreendido entre as 9 horas de 1º de julho de 2011 e as 20 horas de 29 de julho de 2011.

Notícias de Contabilidade

Notícias Contábeis 21.06.11

 

ENFOQUES E NOTÍCIAS
O Estatuto da Micro e Pequena Empresa
O Livro Registro Inventário é Obrigatório?
Simples Nacional – Obrigações Acessórias

ARTIGOS E TEMAS
Demonstração do Resultado Abrangente
Demonstrações Contábeis segundo o IFRS

MODELOS
Modelo de Contrato de Serviços Contábeis
Termos de Abertura e Encerramento – Diário e Razão

EVENTO CULTURAL
Venha Assistir a Estreia do Coral de Meninos de Curitiba!

PUBLICAÇÕES ATUALIZÁVEIS
Auditoria – Teoria e Prática
Manual de Franquia Empresarial
SPED – Escrituração Contábil e Fiscal Digital

Registro

Exame de Suficiência – Segunda Edição

Nova edição do exame de suficiência deve ser em 25 de setembro

Fonte: CRC-PR

O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e a Fundação Brasileira de Contabilidade (FBC) deverão publicar nos próximos dias o edital com todas as informações referentes à segunda edição do exame de suficiência este ano. A data prevista para realização das provas de Bacharel em Ciências Contábeis e Técnico em Contabilidade é 25 de setembro. A inscrição, mediante pagamento de taxa de R$ 100,00, poderá ser feita pela internet no período de 1º a 31 de agosto.

O exame de suficiência foi instituído pela Lei nº 12.249/2010, que alterou o artigo 12 do Decreto-Lei nº 9.295/46. De acordo com a nova redação, esse artigo estabelece que candidatos a exercer a profissão contábil terão que obedecer os seguintes requisitos: conclusão do curso de bacharelado em Ciências Contábeis ou de Técnico em Contabilidade, aprovação em Exame de Suficiência e registro no Conselho Regional de Contabilidade.

A regulamentação do exame está na Resolução CFC nº 1.301/10, tratando da conceituação, periodicidade, aplicabilidade, aprovação e conteúdo programático das provas até aspectos da realização e aplicação, além dos recursos, prazos e questões gerais.

A primeira edição, sob a nova lei, foi realizada dia 27 de março último, simultaneamente em 116 cidades brasileiras por mais de 16 mil inscritos. Os resultados foram divulgados dia 26 de maio, no Diário Oficial da União. Quem não foi aprovado pode se inscrever na segunda edição.

Contabilidade

Conceitos de Demonstrações Contábeis – IFRS

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS SEGUNDO O IFRS

Reinaldo Luiz Lunelli*

Desde o final de 2007 a contabilidade tem passado por vultuosas alterações devido à padronização dos demonstrativos contábeis ao padrão internacional e é aqui mesmo já iniciam-se as dúvidas relacionadas às novas normas.

O CPC – Comitê de Pronunciamentos Contábeis, através de diversos pronunciamentos veio definir a base para a apresentação das demonstrações contábeis e também assegurar a comparabilidade tanto com as demonstrações contábeis de períodos anteriores da mesma entidade quanto com as demonstrações contábeis de outras entidades.

A dúvida de inúmeros contabilistas agora está nas diversas nomenclaturas dadas aos informes contábeis que precisam ser elaborados e de fato elas são fundadas, já que temos títulos diferentes para demonstrativos específicos e que devem ser elaborados em consonância com a nova tratativa contábil.

O item 10 do CPC26, aprovado pelo Conselho Federal de Contabilidade na Resolução CFC 1.185/09 relaciona o que seria o conjunto completo de demonstrações contábeis como sendo:

a) Balanço patrimonial ao final do período;
b) Demonstração do resultado do período;
c) Demonstração do resultado abrangente do período;
d) Demonstração das mutações do patrimônio líquido do período;
e) Demonstração dos fluxos de caixa do período;
f) Demonstração do valor adicionado do período, se exigido legalmente ou por algum órgão regulador ou mesmo se apresentada voluntariamente;
g) Notas explicativas, compreendendo um resumo das políticas contábeis significativas e outras informações explanatórias; e
h) balanço patrimonial no início do período mais antigo comparativamente apresentado quando a entidade aplica uma política contábil retroativamente ou procede à reapresentação de itens das demonstrações contábeis, ou ainda quando procede à reclassificação de itens de suas demonstrações contábeis.

No entanto, em outros pronunciamentos encontram-se definições como demonstrações individuais, demonstrações consolidadas, demonstrações separadas, demonstrações combinadas e demonstrações intermediárias.

O que efetivamente vem a ser cada uma delas? Descubra aqui.

Atualização Legal

FCONT – Prorrogado o Prazo de Entrega

A Receita Federal do Brasil, através da Instrução Normativa RFB 1.164/2011 prorrogou o prazo de entrega do FCONT – Controle Fiscal Contábil de Transição, relativo aos dados do ano-calendário de 2010.

O novo prazo estabelecido é dia 30 de novembro de 2011.

Para os casos de cisão, cisão parcial, fusão, incorporação ou extinção ocorridos em 2010 e em 2011, até o mês de junho de 2011, a apresentação dos dados deverá ocorrer no mesmo prazo.

Conheça nossa obra eletrônica atualizável SPED – Sistema Público de Escrituração Digital.

Notícias de Contabilidade

Notícias Contábeis 14.06.11

Contabilidade

Análise das Demonstrações Financeiras

A análise das Demonstrações Financeiras (ou Contábeis) objetiva uma avaliação da situação da entidade em seus aspectos Econômicos, Patrimoniais e Financeiros.

Também denominada “Análise de Balanços” tem como objeto de estudo, análise e interpretação, não apenas o Balanço Patrimonial, como também todas as demais demonstrações contábeis ou financeiras, elaboradas pela empresa e prescritas nos textos legais.

Para a realização da análise de balanços:

a)     Apuram-se os índices junto às demonstrações contábeis;

b)     Comparam-se os índices com os padrões do mercado e com a concorrência;

c)     Ponderam-se as diferentes informações obtendo um diagnóstico a conclusão; e

d)    Tomam-se decisões.

Portanto, para os contabilistas, administradores, empresários, investidores e demais interessados, a análise das demonstrações contábeis é imprescindível para determinar a “saúde financeira” da entidade, respaldando decisões.

Conheça a obra Análise das Demonstrações Financeiras, para um passo-a-passo nas análises.