Artigos

Sua Empresa Gera Lucro Suficiente?

por Gilmar Duarte 

Quanto é o seu pró-labore? Você diferencia o pró-labore do lucro distribuído? Este controle poderá responder a necessidade de dar o primeiro passo para valorizar o seu trabalho e investimento.

Infelizmente, grande parcela de empresários não consegue responder com segurança a duas perguntas: quanto é o seu pró-labore? Qual é o lucro líquido da sua empresa? Sem firmeza para responder estas duas perguntas é impossível administrar bem qualquer atividade.

Afinal de contas, o que é o pró-labore? O especialista em administração financeira Mauricio Galhardo define da seguinte forma: “o pró-labore é um valor fixo, pago ao sócio por mês, se este trabalha na empresa.

Este valor deve ser justo com a empresa e com o mercado. Pró-labore se define pelo valor do trabalho e não pelo quanto o dono gostaria de ganhar.

Uma boa forma de definir o pró-labore é se perguntar: quanto eu pagaria para uma pessoa fazer isso?”

A definição acima é clara e possibilita compreender que o pró-labore não é aquele salário mínimo que muitas pessoas declaram e recolhem à Previdência Social, bem como não é o valor absurdo que o empresário deseja que lhe sobre todo mês. Pró-labore é o salário justo para o empresário que trabalha e que seria cobrado pela pessoa que o substituísse.

Depois que a empresa reconheceu todos dos custos (fixos e variáveis), inclusive os tributos e o pró-labore, o que sobrar (receita bruta – custos totais) é chamado de lucro líquido.

Para conhecer o percentual do lucro líquido basta dividi-lo pelo faturamento bruto. Atenção: lembre-se que o resultado negativo significa que a sua empresa não está gerando lucro. Se for o caso deduza este prejuízo do seu pró-labore para confirmar que a empresa não está conseguindo sequer pagá-lo um pró-labore justo.

Se o lucro líquido da sua empresa estiver com bom retorno sobre o investimento, está de parabéns. É possível, então, que você esteja praticando preços justos para os seus clientes e remunerando o capital próprio e de terceiros.

Do contrário, você precisa rever os preços. O ideal é implantar uma metodologia de precificação que lhe permita conhecer o lucro líquido por cliente, por linha de produto ou por atividade.

Gilmar Duarte é contador, diretor do Grupo Dygran, palestrante, autor dos livros “Honorários Contábeis” e “Como Ganhar Dinheiro na Prestação de Serviços” e membro da Copsec do Sescap/PR.

Com esta obra o pequeno e médio empresário terá condições de compreender a importância da precificação correta para a sobrevivência de qualquer organização e comprovará que a mesma é menos complexa do que parece, sentindo-se motivado a implantá-la na sua empresa prestadora de serviços!Totalmente atualizada e com linguagem acessível!  Não desperdice seus recursos! Transforme seu negócio rentável, evitando gargalos, vazamentos financeiros e outras perdas. Técnicas e Dicas para controles eficazes na gestão de negócios, resultando em lucro empresarial!

Notícias e Enfoques

Pós-graduandos da UFPR Fazem Pesquisa Sobre Estereótipos da Profissão no filme “O Contador”

Recentemente, a Warner Bros lançou um filme intitulado “O Contador”. A produção mostra, em outros aspectos, estereótipos dos profissionais da contabilidade, envolvendo suas habilidades, competências, ambições, manias e defeitos.

Os estereótipos do profissional da contabilidade são importantes e devem ser conhecidos para o sucesso da profissão, tendo que, muitas vezes, a imagem dos contadores é vista pelo público somente em eventos negativos, tais como fraudes, escândalos e falências. No Brasil, já ocorreram referências nesse último sentido.

Na novela “Páginas da Vida”, por exemplo, exibida pela Rede Globo, o personagem Alex (Marcos Caruso), foi apresentado como um contador fracassado, sem alternativas de trabalho, uma pessoa que sente vergonha de se apresentar como contador; por isso, tem problemas com a esposa, que o humilha…

É talvez a primeira vez em circuito mundial que a indústria cinematográfica mostra com tantos detalhes os estereótipos dos contadores.

Explorando a oportunidade, os estudantes do Programa de Pós-Graduação em Contabilidade da Universidade Federal do Paraná (PPGCONT-UFPR) Alcido Manuel Juanilha, Joyce Menezes da Fonseca Tonin, Vagner Alves Arantes e Romualdo Douglas Colauto, sob a coordenação do professor Vicente Pacheco, auditor independente, ex-conselheiro do CRCPR, membro da Academia de Ciências Contábeis do Paraná, professor da UFPR e doutor em Ciências Contábeis pela USP, estão desenvolvendo uma pesquisa que visa identificar as percepções de profissionais sobre as habilidades, competências, ambições, manias e defeitos dos contadores retratados no filme, que ainda está em cartaz nos cinemas de algumas cidades no Brasil.

Professores, alunos e profissionais ligados à contabilidade que tenham assistido ao filme estão sendo convidados a participar da pesquisa, cujo questionário está disponível em https://goo.gl/forms/8otcEtPyzzaoOu832.

As informações fornecidas serão utilizadas apenas para o propósito acadêmico e o envolvimento dos respondentes voluntários é considerado como uma grande contribuição para a qualidade dos resultados do estudo.

Para os respondentes serão sorteados três fones de ouvido sem fio, micro SD, USB, FM, Bluetooth.

Fonte: site CRC-PR 11.11.2016