Contabilidade

Critérios de Avaliação de Estoques

Em geral, os estoques físicos são avaliados por ocasião do “fechamento de balanço“, normalmente no final do ano civil.

Entretanto, para fins de apuração do IRPJ e da CSLL no lucro real trimestral e também na hipótese de suspensão e redução do IRPJ e CSLL estimados com base em balancete, há necessidade de avaliação dos estoques nos balanços/balancetes respectivos.

Regra geral, os estoques são avaliados pelo custo médio de aquisição ou produção. Entretanto, se a empresa não mantiver o registro permanente de estoque deverá avaliar o estoque das mercadorias e matérias-primas pelo preço das últimas aquisições menos os impostos recuperáveis – ICMS, IPI, PIS e COFINS, método chamado de PEPS (“primeiro a entrar, primeiro a sair”).

Caso não tenha contabilidade de custos integrada e coordenada com a escrituração (incluindo a exigência de controle permanente de estoques), a empresa deverá avaliar o estoque pelo custo arbitrado, no qual as mercadorias serão avaliadas em 70% do maior preço de vendas desse produto no período-base, não sendo permitida a exclusão do ICMS.

Neste caso, os materiais em processamento (produtos em elaboração), serão avaliados por uma vez e meia o maior custo das matérias-primas adquiridas no período de apuração, ou em oitenta por cento do valor dos produtos acabados.

Custo de Produção

O custo de produção deve compreender, além da matéria-prima e da mão de obra direta empregada (custos diretos), também os chamados gastos gerais de fabricação (custos indiretos).

Apure corretamente os custos de estoques, através da leitura e aplicação da obra:

Apure os custos mediante utilização da contabilidade! Exemplos de contabilizações e cálculos (rateios e mapas de alocações). Abrange custos industriais e de serviços. Clique aqui para mais informações.

Contabilidade

Como Estabelecer Preços para os Serviços Contábeis?

Fato é que a determinação dos preços dos serviços contábeis a serem cobrados dos clientes, na maioria das vezes, é baseada em palpites, tabelas ou outros parâmetros aleatórios.

Qual seria o critério mais justo para estabelecer estes preços?

O uso do tempo. Este é um parâmetro justo, já que há clientes que demandam enorme esforço (as tarefas contábeis são notadamente realizadas por profissionais, em tempos-hora).

O cálculo deve levar em consideração o nível do profissional envolvido com a tarefa, o tipo e extensão da mesma, o valor total do custo da mão de obra e encargos associados, além da distribuição de custos indiretos (como aluguel do escritório, água, luz, telefone, assinaturas de publicações e periódicos, treinamento e despesas administrativas).

Não esqueça também de contar como custo o seu pró-labore (ou total de remunerações, no caso de mais de um sócio), com correspondentes encargos.

Para a formação do preço, agrega-se ao custo estimado/orçado (direto + indireto) o % de lucro desejável e as despesas variáveis (impostos, tarifa de cobranças, comissões e outras variáveis sobre o faturamento).

Num primeiro momento, a análise e formação de tais preços poderão divergir, fortemente, dos preços já praticados, mas lembre-se que a gestão de um escritório ou atividade contábil exige monitoramento e ajustes ao longo do tempo, então cabe a você refletir e corrigir o que está errado, renegociando contratos e estabelecendo preços mais adequados às atividades exigidas por cada cliente.

Como sugestão, recomenda-se a leitura da obra:

Guia para implementação de cálculo do preço de serviços contábeis e correlatos. Escritórios contábeis e profissionais de contabilidade têm um dilema: quanto cobrar de seus clientes? Agora chega às suas mãos um guia prático, passo-a-passo, de como fazer este cálculo de forma adequada. Com linguagem acessível, a obra facilita ao profissional contábil determinar com máxima precisão o preço de seus serviços a clientes e potenciais clientes.Clique aqui para mais informações. Como Fixar Honorários Contábeis 

Mais informações 

Clique para baixar uma amostra!