Contabilidade

O Que Compõe o Valor Contábil?

Em termos contábeis, o denominado “valor contábil” é o montante pelo qual um determinado ativo ou passivo está reconhecido no balanço.
Este montante também é conhecido como “valor residual”.
No caso de um ativo imobilizado, representa o valor original, deduzido de toda respectiva depreciação, amortização ou exaustão acumulada, ajuste para perdas, reavaliação ou outros ajustes contábeis:
Valor original do ativo
(+ -) Ajuste por reavaliação
(-) Ajuste por impairment
(-) depreciação, amortização ou exaustão acumulada
(+) Acréscimos ao valor original do ativo (exemplos: reformas em equipamentos e construções em terrenos)
(+ -) Outros ajustes contábeis do ativo
(=) Valor Contábil
Aprofunde seus conhecimentos, através dos seguintes tópicos no Guia Contábil Online:
Contabilidade

Ativo Imobilizado em Uso – Regras BACEN

As instituições financeiras e demais instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil devem registrar no ativo imobilizado de uso os bens tangíveis próprios e as benfeitorias realizadas em imóveis de terceiros, destinados à manutenção das suas atividades ou que tenham essa finalidade por período superior a um exercício social.

As aplicações de capital em ativos imobilizados de uso, inclusive referentes a terrenos que se destinem a futura utilização em decorrência de construção, fabricação, montagem ou instalação, devem ser registradas provisoriamente em rubrica específica de imobilizações em curso.

Caso não sejam efetivadas as aplicações previstas no período de até três anos, os valores escriturados na forma exigida devem ser reclassificados para o ativo circulante.

Os gastos com adições, benfeitorias ou substituições de componentes em ativo imobilizado de uso que efetivamente aumentem o seu prazo de vida útil econômica, sua eficiência ou produtividade podem ser agregados ao valor contábil do ativo.

A depreciação do imobilizado de uso deve ser reconhecida mensalmente em contrapartida a conta específica de despesa operacional.

Cada componente de um ativo imobilizado de uso com custo significativo em relação ao custo total do ativo deve ser depreciado separadamente.

As estimativas do valor residual e da vida útil dos ativos imobilizados de uso devem ser revisadas no final de cada exercício ou sempre que houver alteração significativa nas estimativas anteriores.

O valor contábil de um ativo imobilizado de uso deve ser baixado por ocasião de sua alienação ou quando não houver expectativa de benefícios econômicos futuros com a sua utilização ou alienação.

Na venda a prazo de ativos imobilizados de uso, a diferença entre o preço à vista e o total dos recebimentos previstos deve ser apropriada mensalmente na conta adequada de receita, de acordo com o Regime de Competência.

As instituições financeiras devem transferir do imobilizado de uso para o ativo circulante, pelo menor valor entre o valor contábil e o valor de mercado deduzido dos custos necessários para a venda:

I – a parcela substancial do ativo que não seja utilizada nas suas atividades; e

II – os bens cujo uso nas suas atividades tenha sido descontinuado.

Base: Resolução Bacen 4.535/2016.

Uma coletânea de centenas de análises totalmente práticas para auditoria contábil!. Além de uma linguagem acessível, é uma obra atualizável. Contém pontos (questionários) sobre as contas e demais controles contábeis. Modelos de PTA - Papel de Trabalho, prontos para serem utilizados em uma auditoria, em planilha EXCEL, que diminuirá o seu tempo para a abertura de papéis de trabalho e análise. Clique aqui para mais informações.  Fechamento e Elaboração de Balanço na Prática tópicos Atualizados e Exemplificados! Abrange detalhes de encerramento de balanço, ativos, passivos, demonstração de resultado, com exemplos de lançamentos, contém detalhes de tributação - Lucro Real, Presumido, Arbitrado e Simples! Clique aqui para mais informações.

Contabilidade

Que São Bens do Imobilizado?

Consideram-se bens do ativo imobilizado, ativos tangíveis:

I – que sejam disponibilizados para uso na produção ou fornecimento de bens ou serviços, ou para locação por outros, para investimento, ou para fins administrativos; e

II – cuja desincorporação ocorra somente a partir do segundo ano subsequente ao da respectiva entrada.

Bases: Resolução CFC 1.285/2010Resolução CGSN 125/2015.

Fechamento e Elaboração de Balanço na Prática tópicos Atualizados e Exemplificados! Abrange detalhes de encerramento de balanço, ativos, passivos, demonstração de resultado, com exemplos de lançamentos, contém detalhes de tributação - Lucro Real, Presumido, Arbitrado e Simples! Clique aqui para mais informações.  Como elaborar um adequado Plano de Contas Contábil. Atualizado de acordo com a Lei 11.638 de 28 de dezembro de 2007 e mudanças nas Normas Contábeis.Abrange detalhamentos da elaboração das contas contábeis e tópicos que merecem atenção específica. Cada conta é analisada individualmente para facilitar a classificação. Clique aqui para mais informações.

Notícias e Enfoques

Notícias Contábeis 25.06.2013

GUIA CONTÁBIL ON LINE

Demonstração dos Fluxos de Caixa – DFC

Ágio e Deságio na Aquisição de Participações Societárias

Indenização Recebida da Seguradora – Sinistros de Bens do Imobilizado

DESTAQUES

Escrituração Contábil é Obrigatória?

DIPJ e Contabilidade

ARTIGOS E TEMAS

Organização: Lucro para o Escritório Contábil ou Evidência de Falta de Serviços?

Contabilidade Tributária – O que é?

ENFOQUES TRIBUTÁRIOS

IRPJ – Vendas a Longo Prazo de Investimentos Permanentes e Bens do Imobilizado

IRF – Serviços de Propaganda

IRPJ/CSLL – Receitas e Perdas Não Operacionais

IPI – Hipóteses de Suspensão

PUBLICAÇÕES ATUALIZÁVEIS

Manual de Perícia Contábil

Reduza as Dívidas Previdenciárias

Apuração de Custos e Formação do Preço de Venda

Notícias de Contabilidade

Notícias Contábeis 08.06.2010

BALANÇOS
ADE COTIR 16/2010 – Divulga taxas de câmbio para fins de elaboração de balanço relativo ao mês de abril de 2010.
CAPITAIS BRASILEIROS NO EXTERIOR
Já começou a entrega da Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior – CBE.
Circular BACEN 3.496/2010 – Estabelece período de entrega da declaração de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE) referente à data-base de 31 de dezembro de 2009.
NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE
Resolução CFC 1.282/2010 – Atualiza e consolida dispositivos da Resolução CFC 750/93, que dispõe sobre os Princípios Fundamentais de Contabilidade.
Resolução CFC 1.283/2010 – Revoga as Resoluções CFC 686/90, 732/92, 737/92, 846/99, 847/99, 887/00 e 1.049/05, que tratam da NBC T 3 – Conceito, Conteúdo, Estrutura e Nomenclatura das Demonstrações Contábeis, da NBC T 4 – Da Avaliação Patrimonial e da NBC T 6 – Da Divulgação das Demonstrações Contábeis.
GUIA CONTÁBIL ON LINE
Cisão, Fusão e Incorporação de Sociedades
Ágio e Deságio na Aquisição de Participações Societárias
Aquisição de Bens do Imobilizado Sem Financiamento Bancário
GESTÃO CONTÁBIL
O Perfil do Profissional Contábil
A Demonstração dos Fluxos de Caixa – DFC
A Contabilidade como Fonte de Lucro Empresarial
BOLETINS ANTERIORES
Estava de férias ou perdeu alguma edição de nossos boletins? Então consulte os boletins contábeis de 01.06.2010, 25.05.2010, 18.05.2010 e 11.05.2010.
PUBLICAÇÕES
Auditoria Contábil
Contabilidade de Custos
Gestão de Finanças Empresariais
Notícias de Contabilidade

Notícias Contábeis 18.05.2010

GUIA CONTÁBIL ON LINE
Aplicações Financeiras – Registros Contábeis
Cheques Pré-Datados ou Devolvidos – Contabilização
Aquisição de Bens do Imobilizado Através de Financiamento
GESTÃO CONTÁBIL
Custeio por Absorção
DECORE: um Documento Importante
Dicas Sobre o Processo de Escrituração Contábil
MODELOS DE DOCUMENTOS
Conciliação Bancária
Circularizações para Bancos
Parecer de Auditoria Sem Ressalva
PUBLICAÇÕES
Manual de Auditoria Interna
Micro Empreendedor Individual – MEI
Modelos de Impugnação e Recursos – Receita Federal